Bull Terrier

 Bull Terrier

 

Na atualidade o Bull Terrier é um animal familiar, que se caracteriza por ser um companheiro de brincadeiras divertido para os pequenos, apesar de nem sempre ter sido assim. Esse cão de cabeça em forma de ovo foi, em um passado não tão distante, utilizado na África como cão policial e como cão de caça, por ser resistente ao clima tropical.

Resultado do cruzamento entre o Bulldog e o Terrier Inglês Branco, o Bull Terrier surgiu, em suas primeiras ninhadas, de maneira muito robusta e com cães diferentes entre si; sendo, mais tarde, cruzado com cachorros da raça Dálmata até se tornar como é hoje. Usada como adversário de touros em lutas públicas na Inglaterra de tempos passados, a raça é extremamente forte e ágil – sendo, ainda, muito obediente aos seus donos e bastante inteligente.

Origem

Desde a Idade Média os ancestrais do Bull Terrier eram utilizados em lutas de cães contra touros. No século XIX virou moda que os cães lutassem entre si e contra todo tipo de animal selvagem ou doméstico (texugos, ursos, burros, cavalos, macacos e até leões). Com isso em vista, fica claro que o surgimento da raça foi ocasionado pela busca dos europeus pelo cão de luta perfeito – que juntasse uma série de características físicas como força, agilidade, coragem e poder de mordida.

Nessa busca, outra raça bastante popular e frequentemente confundida com o Bull Terrier também foi criada: a Pit Bull – que chegou como resultado do encontro entre cães das primeiras ninhadas de Bull Terrier com cachorros de outras raças diversas.

Embora toda a história da criação dos Bull Terrier seja intimamente ligada às lutas entre animais que eram realizadas na Europa (mais especificamente, na Inglaterra) durante o século XIX, há estudiosos que acreditam que a origem desta raça não teve a invenção do cão de luta ideal como propósito – afirmando que o novo estilo foi crido, na realidade, para servir como um cachorro de exposição; aproveitando sua aparência atípica para ganhar destaque em competições do gênero.

Voltando à versão mais conectada com as lutas europeias, os cães que eram usados nessas brigas descendiam de cruzamentos entre Bulldogs e diferentes Terriers. Em 1835 os combates foram proibidos, apesar de terem continuado acontecendo ilegalmente com certa frequência. Nessa época, a raça já começava a se diferenciar em função do cruzamento com raças como Dálmata, dando origem ao cão que, em 1862, seria finalmente conhecido como Bull Terrier.

Esta foi a primeira vez que um Bull Terrier completamente branco foi gerado, tornando a raça extremamente popular pela sua aparência inigualável. A partir disso, estes cães passaram a ser cada vez mais requisitados pelos cavalheiros da época – que buscavam um cachorro de companhia com aspecto másculo e que pudesse ser tido como um símbolo de força em combate.

Ganhando o apelido de “Cavaleiro Branco”, os Bull Terriers se tornaram donos de uma grande fama como defensores excepcionais – no entanto, sem ser o tipo de cão que provoca brigas ou age com violência em qualquer tipo de situação onde não haja uma grande ameaça.

Comportamento

É disciplinado, ainda que às vezes seja teimoso e desobediente. É silencioso, doce e agradável. Tem um instinto territorial forte e cumpre bem o papel de cão de guarda. É considerado um cão equilibrado e que ama crianças. Embora possa ser extremamente agressivo quando em situações de ameaça, o cão desta raça pode ser facilmente adestrado e costuma obedecer fielmente aos seus donos – sendo, ainda, dotado de muita esperteza, e colocado na posição de número 66 da lista das raças de cachorros mais inteligentes do mundo.

Embora possa ser bastante dócil e protetor com sua família, a sua natureza de luta requer bastante atenção, e os cães da raça devem ser adestrados desde pequenos – pois, boa parte do comportamento e do temperamento adquirido pelo animal é proveniente do tratamento que ele recebe em casa e do nível de adestramento que ele tem.

Aspecto

É um cão forte, musculoso e bem proporcional. É caracterizado por sua cabeça longa e fina, de formato oval. Tem orelhas pequenas, finas e erguidas. A cauda é curta e fica horizontal. Seu pelo é curto, liso, reto, áspero e brilhante, e pode ser branco, manchado ou tigrado.

Seu porte pode ser considerado médio, embora alguns exemplares tenham um tamanho ainda mais reduzido; sendo que os machos da raça (que pesam até cerca de 30 quilos) podem ser um pouco mais pesados do que as fêmeas – embora o tamanho dos dois varie entre os mesmos dígitos (de 53 a 55 centímetros).

Cuidados específicos

É conveniente educá-lo desde filhote e ser firme diante de qualquer demonstração de agressividade para conseguir um bom comportamento no futuro. Eles não necessitam de nenhum exercício excessivo, mas levá-lo para caminhar todos os dias ajuda a mantê-lo contente.

Embora não seja necessário que o Bull Terrier se exercite até a exaustão, é fundamental que ele tenha atividades físicas e mentais com bastante frequência; caso contrário, ele pode ter o impulso de exercitar sua poderosíssima mandíbula dentro de casa, e esse tipo de situação pode causar acidentes violentos.

A corrida pode ser uma boa válvula de escape para os cachorros desta raça, mas deixá-lo completamente solto não é indicado – portanto, o ideal é que o Bull Terrier possa conviver em um lar om um quintal grande, por exemplo; onde possa gastar suas energias e, ao mesmo tempo, estar dentro de um local seguro.

Os cuidados com a pelagem da raça são mínimos, já que seus pelos são bastante curtos – e banhos quinzenais já são o suficiente para que a raça permaneça limpa e higienizada.

Saúde

Gozam de uma boa saúde, no entanto, a surdez é um dos problemas que mais afeta a raça - principalmente nos exemplares brancos. O cão da raça Bull Terrier também pode sofrer com hérnias, anomalias na cauda, acne ou acrodermatite – que consiste em uma doença grave e congênita, que se manifesta nos cães ainda filhotes e causa o ressecamento da pele do corpo do animal, provocando pelagem quebradiça, coxins com rachaduras e lesões em diferentes áreas do corpo, incluindo focinho e orelhas.