Rottweiler

Rottweiler

 

Usado como cão pastor desde a Idade Média, o Rottweiler ganhou mais notoriedade a partir da Primeira Guerra Mundial, e passou a ser utilizado como cão de polícia logo após esse período – sendo uma raça considerada entre as melhores para atuar como cão de guarda, realizando a defesa e a proteção de pessoas e propriedades das mais diversas. 

Origem

As origens do Rottweiler remetem ao Molossian Caseiro na Roma antiga. Durante a expansão do Império, os cães criados em Rottweil (agora Baden-Württemberg) passariam a se chamar Rottweiler. Este Mastiff foi usado para guiar o gado e, para ter este trabalho, a raça foi cruzada com cães pastores, gerando uma nova mutação.

Embora muitos creiam que a sua origem tenha ligações estreitas com a raça do Mastiff Italiano, sua descendência não é completamente conhecida até os dias de hoje. No tempo que seguiu a Primeira Guerra Mundial, o uso da raça nos combates e como uma ferramenta de proteção perdeu boa parte da sua utilidade, e a raça chegou a correr perigo de entrar em extinção.

Seu padrão foi estabelecido em 1904, e em 1912 a raça começou a ser usada quase que exclusivamente para fins militares, dando o primeiro passo para que este cão pudesse ser considerado um cão de guarda ideal. A partir da década de 1930, a raça também se tornou conhecida na Alemanha, onde se tornou comum em ações policiais que envolviam buscas, resgates, defesa e proteção.

Nos dias de hoje, além das funções de guarda e alerta, o Rottweiler também segue entre as raças mais usadas no pastoreio, e sua presença também pode ser notada em esportes e atividades físicas praticadas por donos e seus pets, como o tracking. Reconhecido oficialmente em 1931 pela AKC – American Kannel Club como uma raça de trabalho, o cachorro Rottweiller sempre levou consigo uma fama ligada à muita agressividade e violência.

No entanto, nos dias de hoje já se sabe que os cachorros da raça também podem ser extremamente dóceis quando criados de maneira que condicione isso (ao contrário dos treinamentos que incentivam os instintos de defesa e proteção do cão – que também pode ser adestrado para juntar suas principais características de proteção às suas particularidades de fidelidade e carinho extremo).

A fidelidade e o amor ao seu proprietário são, também, alguns dos fatores que mais contribuem para a fama de bom cão de guarda do Rottweiler, já que o seu nível de defesa pode se tornar ainda maior quando o animal possui uma conexão mais profunda e de afeto com o seu “objeto” de proteção.

Comportamento

Sua principal característica é ser um cão muito dominante. Não tolera outros cães e tem um instinto para a luta. A fêmea é muito mais tolerante, tem melhor integração com a vida familiar e tem um senso protetor com as crianças. Se você for assaltado, cães dessa raça entram em fúria, defendendo-lhe até o fim da briga e sem receio algum de choques ou ameaças das mais variadas.

No entanto, o Rottweiler é calmo, amigável, familiar, amoroso, tranquilo e não late muito. Conforme citado anteriormente, boa parte da personalidade da raça será formada a partir do tipo de criação que lhe for oferecida – sendo, portanto, totalmente possível condicionar um animal da raça a desenvolver mais o seu lado amoroso e de companhia. Com o treinamento adequado, também é possível juntar as melhores características da raça e ter em casa um cão extremamente afetuoso e, ao mesmo tempo, altamente protetor.

Além de todas as características já expostas, a raça também é dona de uma inteligência altíssima (ocupando a posição de número 9 no ranking dos cães mais espertos), sendo capaz de assimilar bem qualquer tipo de comando e adestramento. Por poder desenvolver uma personalidade bastante teimosa, a indicação geral é de que os Rottweilers sejam treinados desde filhote – possibilitando que seu dono seja o ser dominante da relação e que o cão possa ser obediente e leal ao seu proprietário.  

Dono de uma natureza bastante territorial, pode se tornar agressivo quando sente alguém invadindo o seu espaço – tanto com pessoas que não conhece como com outros animais (especialmente outros cachorros).

Aparência     

São cães compactos, robustos, vigorosos e fortes. Têm membros musculosos e poderosos. Suas orelhas são triangulares e, nos países que é permitido, seu rabo é cortado deixando apenas uma ou duas vértebras. Seu pelo é duro, liso, firme e preto com marcas de fogo específicas. A cara de mau e os olhos e ouvidos sempre atentos podem assustar, mas o cão também pode se mostrar extremamente alegre e dócil com muitas pessoas; passando uma imagem mais amorosa e de carinho.

Cuidados Específicos

O Rottweiler autoritário precisa de um proprietário que possa tratá-lo e dominá-lo. Requer foco em treinamento e socialização para prevenir o desenvolvimento de comportamento agressivo ou nervoso. É aconselhável monitorar a dieta, oferecendo uma alimentação balanceada e sem exageros para evitar que engorde. 

Sendo a natureza do Rottweiller de bastante trabalho e atividade, é essencial que a raça viva em um local que conte com espaço suficiente para a prática de exercícios físicos constantes, caso contrário, seu equilíbrio e docilidade podem ser abalados. O ideal é que a raça possa praticar atividades cerca de duas vezes ao dia (de preferência, em espaços abertos e cercados, pois, o cão se sente melhor quando pode ficar sem coleira), sendo que ele deve ser levado para fora de casa – mesmo que para o quintal – para que esse tipo de exercício seja realizado.

Além de poder destruir a casa com suas brincadeiras, os cães Rottweiler tem uma grande tendência a se tornar acomodado e preguiçoso enquanto no conforto do lar e, por isso, leva-lo para ambientes diferentes e abertos é sempre a melhor opção para incentivar o nível de energia e atividades do cachorro.

Saúde

Rottweiler é um cão de boa saúde, no geral, mas problemas de displasia da anca, torção de estômago ou parvovirose podem ocorrer ao longo de sua vida. Conforme citado anteriormente, a alimentação dos cães da raça deve ser bem controlada e nunca exagerada – já que esse tipo de falta de controle é o tipo de fator que aumenta bastante as chances de que o animal possa sofrer com a torção gástrica (problema que pode ser fatal em muitos casos).

Por contar com uma pelagem curta e de manutenção bem simples, a raça deve ser escovada para que sejam retirados os pelos soltos e não deve ser banhada com muita frequência – já que isso pode tirar a oleosidade natural do animal (que o protege de uma série de complicações) e influenciar no aparecimento de dermatites de pele. Em muitos casos, os banhos secos nos cães da raça podem ser uma ótima opção para evitar esse tipo de problema.