Maltês

História (do Maltês)

Embora sua origem seja controversa, reconhece-se a antiguidade da raça: de acordo com alguns historiadores, desenhos e esculturas datados de 4 000 a.C, mostram o cão maltês como inspiração. Sobre seu "local de nascimento", alguns afirmam ser o maltês um caninoasiático, enquanto outros afirmam ser ele um nativo de Malta, sendo esta última a hipótese mais aceita. A despeito disso, os primeiros registros encontrados sobre esta raça datam da Europa do século XV, quando teriam sido trazidos, provavelmente da ilha italiana de Malta, sendo então usados por marinheiros como moeda de troca. Acredita-se ainda que tenham criado uma lenda curativa sobre o maltês, sendo fácil então, encontrar luvas feitas com seus pelos, por exemplo. A despeito disso, esta raça foi desenvolvida para tornar-se um cão de companhia, em princípio para a realeza europeia, como a Rainha Maria Stuart da Escócia, que o popularizou na Inglaterra. Saída da Europa e chegada ao Brasil, alcançou o ápice de sua popularidade em meio a esta nação em 2000, quando tornou-se uma das dez raças mais comuns do país.

Chamado cão de colo, o maltês pode chegar aos 25 cm na cernelha e pesar 4 kg. Sua pele é pigmentada de vermelho e preto, principalmente no dorso. Sua pelagem não possui subpelo, é densa, de textura sedosa e brilhante; alongada pelo corpo, permanece lisa da linha superior do tronco, que divide sua pelagem ao meio; em sua cabeça, é também longa e lisa, confundindo-se com a barba. A cor do maltês é característica: branca pura, variando ao máximo, para um marfim pálido. Caso um exemplar apresente, por exemplo, um laranja pálido, esta coloração é descrita como uma imperfeição, sendo portanto, indesejável. Entre os principais problemas que podem afetar sua saúde estão as alergias e a luxação da patela, quando a má formação do osso do joelho o faz deslocar-se, o que causa dor ao animal.

Desenvolvido desde o princípio para ser um canino de companhia, o maltês é capaz de adaptar-se facilmente a vida de seus donos, embora necessite de constante exercício. Descrito como incapaz de permanecer sozinho, é ainda interativo tanto com animais quanto com pessoas. Alerta, é ainda um cão de alarme eficiente. No ranking que lista ainteligência canina, o maltês ocupa a 59ª posição, o que pode refletir em relutância ao adestramento.

 

Saúde do Maltês
 

Principais Preocupações: nenhuma
Preocupações Menores: luxação da patela, fontanela aberta, hipoglicemia, hidrocefalia, distiquíase, entrópio
Vistos Ocasionalmente: surdez, Síndrome de Tremor do Cão Branco
Exames Sugeridos: joelhos, olhos
Expectativa de Vida: 12-14 anos
 

Cuidados


Assim como seus parentes Poodle, BichonFrisé, LhasaApso e ShihTzu, são considerados altamente hipoalergênicos e pessoas que são alérgicas a cães não são alérgicas aos Malteses. São necessários o banho e pentear regularmente para previnir que seu pêlo perca o brilho. Outro hábito que se deve ter desde cedo é o da escovação. Só uma escovação diária pode deixar o pêlo do Maltês lindo como o que normalmente aparece nas fotos. A pelagem do Maltês é formada por pêlos finos e sem sub-pêlo. O banho tem que ser semanal. Uma outra vantagem sobre outras raças, é que mesmo depois de uma semana sem tomar banho, os Malteses não exalam cheiro de cachorro que os demais cães soltam. Muitos donos mantêm seus Malteses aparados com um “corte de filhote”, corte que faz o cão parecer um filhote. Manchas negras perto do olho (“manchas de lágrimas”) podem ser um problema nessa raça, e na maioria das vezes é em função da quantidade de água de cada olho do cão e do tamanho dos dutos lacrimais. Se a face é mantida seca e limpa diariamente, as manchas podem ser minimizadas. Se os Malteses são cuidados propriamente, terão um lindo pêlo liso e perfeito. É bom evitar que o Maltês brinque na grama ou quintal, pois isso acaba com sua pelagem. Ele é um cãozinho para viver somente dentro de casa. Não fica doente se mantido sempre limpo, dentro de casa e em companhia dos humanos que ama sem restrições.

 

Temperamento


Malteses podem ser bastante energéticos e são conhecidos pelos seus ocasionais acessos de atividade física, correndo em volta com velocidade máxima com uma agilidade incrível; mesmo assim, eles ainda servem bem para habitantes de apartamentos. Se você leva uma vida pacata e quer um cão calmo que acompanhe o ritmo dos donos, tenha um Maltês. Mas se você leva uma vida agitada e quer um cão que acompanhe o ritmo dos donos, tenha um Maltês. É essa vantagem que a raça tem sobre as outras, pois é um cão que se molda ao estilo do dono. Gostam de um divertido jogo de pega-e-traz. Estes cães inteligentes aprendem rápido, mas não são relativamente fáceis de treinar. Já que a raça foi criada especificamente para cão de companhia, eles não ficam bem se forem deixados sozinhos por longas horas, a não ser que sejam acustumados desde pequenos a brincarem sozinhos.
A raça tem a reputação de ser bondosa. Eles são muito protetores do seus donos e irão latir ou poderão morder se animais ou pessoas infringirem no seu território ou se são percebidos como uma ameaça.
Pelo seu tamanho diminuto, Malteses parecem não ter medo. De fato, muitos Malteses parecem relativamente indiferentes à criaturas/objetos maiores que eles mesmo (à não ser, claro, o seu dono). Eles estão entre os cães pequenos mais dóceis, ainda que são vívidos e brincalhões assim como energéticos. Por causa de seu tamanho, Malteses não são uma boa escolha para famílias com crianças pequenas pois eles podem ser facilmente machucados.